Augusto

Category
Vila do Sino

Augusto

Dimensões: 0,60 x 0,80
Técnica: Acrílica sobre tela

Seu Augusto não usava relógio, não precisava,
sabia a hora exata das coisas
e nunca se atrasava.
Não contava sua tática a ninguém,
olhava apenas para o céu
e logo dizia:
“Tá na minha hora,
vou chegando,
até logo!”
O povo achava o velho meio bruxo,
diziam que ele escondia alguma coisa,
mas, na verdade, não tinha luxo.
Ele sabia a hora das coisas,
porque lia os sinais no céu.
Sim, naquele tempo,
os aviões deixavam rastros,
e passavam com hora marcada,
seu Augusto não se enganava.
Esperava pelo das 10h e almoçava,
pelo das 2h e tomava café,
pelo das 5h e para casa tornava.
Saudade daquele tempo
de um céu riscado de nuvens,
da hora das coisas exatas,
lidas naquela fumaça.
É, seu Augusto,
vem acertar meu relógio,
vem me contar mais histórias,
e me dizer o que aconteceu…
Eu não acerto a hora
e ando cansado de olhar pro céu.